Blog

Conheça o Ciclo do Seu Hábito: Fumar, Café, Correr

Conheça o Ciclo do Seu Hábito: Fumar, Café, Correr

Todos nós somos frutos de nossos hábitos e de nossas crenças. Em última instancia nossas crenças, nossa formação, educação, nos fazem repetir erros e acertos, criando ciclos que podem ser bons ou maus, dependendo do hábito em questão. Se somos todos frutos do meio em que vivemos fica claro que nosso meio nos ajuda a criar tais hábitos. Isso, por si só, demonstra o quanto é difícil se mudar um hábito, já que para um hábito se alterar precisamos ir de encontro as nossas crenças, nosso meio, muitas vezes contra nossos entes queridos que não compreendem o quanto um certo hábito pode estar sendo prejudicial e não ajudam, só atrapalham.

Um hábito é criado a partir de uma repetição de um procedimento. Uma coisa que fazemos repetidamente se torna um hábito simplesmente porque nos acostumamos a fazer essa mesma coisa sempre que a mesma situação se repete. Podemos dizer que um hábito tem um gatilho, ou seja, sempre que uma certa situação se repete, sempre que vemos o gatilho, disparamos o hábito. Isso significa que se conseguirmos identificar o gatilho conseguiremos entender o que nos faz repetir o ciclo. Então o primeiro passo para que possamos criar um hábito ou modificar um hábito ou ainda deixar de ter um hábito é identificar o gatilho.

Da mesma forma como um fumante costuma dizer que se toma um café (gatilho) tem vontade de fumar (hábito) podemos identificar um gatilho que nos faça ter, por exemplo, vontade de ir a academia, se exercitar. O que precisamos é buscar algo que se transforme num gatilho e que sempre que ele ocorra você pense: vou pra academia agora! O oposto também é verdade, se você é um fumante e sabe que o café dispara em você a vontade de fumar você pode tentar ir diminuindo os cafezinhos nos intervalos, evitando que a vontade de fumar apareça. No começo vai ser mais difícil, mas aos poucos você irá vencendo essa luta contra o cafezinho e automaticamente diminuirá o cigarro. Você verá que no início o simples fato de pensar no cafezinho irá lhe dar vontade de fumar. Isso é normal, aos poucos você pensará menos no cafezinho e, automaticamente, pensará menos no cigarro.

Não queira mudar no primeiro momento, o importante é que você, num primeiro momento, identifique o gatilho e comece a trabalhar com ele, diminuindo ou aumentando os momentos em que o gatilho acontece dependendo do seu objetivo. Se quer criar um hábito então procure sempre disparar o gatilho. Se quer se livrar de um hábito, então procure evitar o gatilho.

Comece pelos mais simples, pelo básico. Busque hábitos com o qual você não tem um problema muito grande, que seja mais fácil de alterar. Identifique o gatilho e trabalhe nele,  reduza ou aumente a quantidade de vezes que o gatilho dispara e comece a identificar como isso muda o seu comportamento. Veja o quanto isso te deixa incomodado. O grau de incomodo mostra o quanto será difícil alterar esse hábito. Algo que muito te incomoda será, certamente, mais difícil de mudar do que algo a que você não dá muita importância.

Comece a prestar atenção no seu comportamento nos momentos que antecedem o hábito e identifique o que é o gatilho pra você. Para facilitar vai uma dica: seu cérebro passa o tempo todo buscando criar hábitos para facilitar o seu dia-a-dia. Quando você tem um hábito você faz algo automaticamente. Quase sem pensar, seu cérebro coloca os hábitos numa área especial onde tudo o que precisa para que o hábito aconteça fica numa área que, uma vez disparado o gatilho, seu cérebro segue a rotina disparada pelo gatilho que acontece quase sem interação do cérebro, aliviando o seu cérebro para outras tarefas. Por isso ele passa o tempo todo tentando criar hábitos, criar procedimentos para criar o ciclo e dessa forma aliviar o seu cérebro para outras tarefas.

Mas isso por si só não cria ou acaba com o um hábito, falta um componente: a recompensa. A recompensa é a terceira parte do hábito. Sim, um hábito tem 3 partes: gatilho, ciclo e recompensa. Ali em cima falamos do gatilho, ciclo é o que você sempre pensou que fosse o hábito, e a recompensa é algo que acontece porque você repete o hábito para conseguir a recompensa. Então vamos entender: fazemos algo que dispara um gatilho e essa gatilho puxa um ciclo e nesse ciclo temos uma recompensa que nos faz ter vontade de repetir o ciclo sempre que o gatilho aparece.

O nosso cérebro lembra da recompensa no momento que acionamos o gatilho. Na verdade, disparamos o gatilho para ter a recompensa. Ou seja, é a recompensa que associa o gatilho ao hábito. Entendeu?

Bom, vou ficar por aqui, o post já vai ficando grande. No próximo post vou aprofundar esses conceitos e ao longo dos posts vamos aprender como identificar os gatilhos, os ciclos e as recompensas.

E os seus hábitos? São saudáveis? Você está feliz com eles? Pense nisso.