Blog

Alimentos que Ajudam a Combater a Insônia.

Alimentos que Ajudam a Combater a Insônia.

Alguns alimentos e seus benefícios para melhorar a Insônia. Além de suas causas, sintomas e tratamento.

Estima-se que duas em cada dez pessoas sofrem de insônia no mundo, mas ninguém gosta de passar a madrugada rolando de um lado para o outro da cama sem conseguir dormir, não é mesmo? A alimentação pode ajudar a diminuir o problema da insônia, alguns alimentos colaboram para a redução dos níveis dos hormônios ligados ao estresse.

Alimentos que ajudam a combater a insônia:

Banana: Tem um papel importante na produção de serotonina, hormônio do relaxamento. Também tem uma grande fonte de vitaminas como complexo B, B6 e magnésio;
Aveia: É rica em triptofano, o que ajuda também a manter um sono contínuo;
Amêndoas:Rica em antioxidantes, é excelente para a saúde do coração. Também produz o colesterol, por ser fonte de gorduras boas como  o  ômega 3. Esta substância também tem papel importante no sono;
Laranja: Ela tem vitamina C, que também está presente nas outras frutas cítricas. A vitamina C é auxiliar na redução dos níves de cortisol, o hormônio do estresse. Você também pode trocar a laranja por abacaxi, acerola, kiwi e outras;
Maracujá: Essa fruta é um calmante natural. Consumir maracujá deixa a pessoa mais relaxada e quanto mais relaxada estiver, melhor vai ser o seu sono;
Espinafre: Fonte  de aminoácido chamado taurina, que estimula a liberação de neurotransmissores que reduzem o estresse.

Causas da insônia:

Existem vários tipos de insônias. Elas geralmente decorrem da interação de diversos fatores como predisposição genética, fatores físicos, biológicos, mentais, psicológicos e sociais.

Sintomas da insônia:

O sintoma mais comum geralmente se caracteriza pelo aumento do tempo que a pessoa demora para iniciar o sono. Podendo ocorrer também a insônia de manutenção, onde acontece o aumento dos despertares noturnos.

Tratamento para insônia:

Quem se queixa de insônia deve procurar um médico, para que então ele passe um diagnóstico do problema. Quando o diagnóstico já existir, várias opções de tratamento podem ser utilizadas, como: Tratamento medicamentoso, através de terapias cognitivo-comportamentais.